Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Unica reforça defesa a taxa de importação

18/05/2017

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) voltou a defender a cobrança de tarifa na importação de etanol. A entidade pede a revisão da atual taxa de importação, que é isenta, para 16%. A alteração está em análise na Câmara de Comércio Exterior (Camex).

O posicionamento foi defendido dois dias depois da publicação da resolução 11/2017 do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) no Diário Oficial da União. O texto determina que as usinas exportadoras de etanol ao Brasil devem cumprir as regras vigentes no mercado interno. Entre as exigências está a manutenção de estoques mínimos de 25% de etanol até o fim de janeiro e de 8% até o fim de março, bem como a comprovação de capacidade para atendimento ao mercado.

A manobra é uma tentativa de conter o aumento da importação de etanol e estimular os negócios no mercado interno. Em 2016, o Brasil importou 835 milhões de litros de etanol, 68,7% a mais do que em 2015, quando adquiriu 512,9 mil litros do produto. Somente nos quatro primeiros meses deste ano as importações somaram 833 milhões de toneladas, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (SECEX/MDIC). Os Estados Unidos respondem por quase todo o volume adquirido, conforme noticiado pelo jornal DCI.

Fonte:Diário do Comércio e Indústria - DCI


Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017