Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Brasil e Peru querem ampliar parceria em comércio e investimentos

23/02/2017

O ministro Marcos Pereira recebeu nesta quinta-feira o embaixador do Peru, Vicente Rojas. Durante o encontro, o ministro ressaltou o interesse brasileiro em ampliar a parceria com o Peru nas áreas de comércio e investimentos. O embaixador, por sua vez, disse que o governo peruano quer estabelecer uma relação estratégica de longo prazo com o Brasil.

Em abril de 2016, os governos do Brasil e do Peru assinaram dois instrumentos com vistas à maior integração comercial: o Acordo de Ampliação Econômico-Comercial e o Projeto de Protocolo Adicional ao ACE 58 (Mercosul-Peru) para aceleração do cronograma de desgravação.

O governo brasileiro negociou bilateralmente o acordo, ou seja, sem os países do Mercosul, por se tratar de negociação de temas não tarifários, o que é permitido pelas regras do bloco. Os acordos representam o maior pacote temático já concluído pelo governo brasileiro bilateralmente.

O ministro Marcos Pereira informou ao embaixador que o Acordo de Ampliação Econômico Comercial está tramitando na Câmara dos Deputados e que o governo brasileiro tem interesse na aprovação da matéria.

“Estamos empenhados em avançar na relação bilateral, especialmente na área de comércio. O MDIC acompanha de perto a tramitação do acordo no Congresso Nacional e não medirá esforços para que o instrumento seja internalizado na maior brevidade de tempo”, disse o ministro. Sobre o Acordo de Antecipação do Cronograma do ACE-58, Marcos Pereira disse contar com a celeridade do governo peruano em proceder com os trâmites na ALADI para que o acordo entre em vigência.

Durante a conversa com o embaixador Vicente Rojas, o ministro também voltou a defender uma aproximação entre os sócios do Mercosul e os países da Aliança do Pacífico.

Intercâmbio comercial

Em 2016, as exportações brasileiras para o Peru cresceram 7,3% em relação ao ano anterior, passando de US$ 1,8 bilhão para US$ 1,9 bilhão. A participação do país subiu de 0,9% para 1,1%, posicionando-se como o 27º destino das exportações brasileiras no ano. Já as importações brasileiras do Peru atingiram US$ 1,2 bilhão. A participação do Peru elevou-se de 0,7% para 0,9%. O país foi o 27º fornecedor estrangeiro ao Brasil em 2016.

Diante desses números, a balança comercial com o Peru resultou em superávit de US$ 712,5 milhões. Em 2015, o superávit foi de US$ 559,3 milhões. A corrente de comércio (exportações + importações) entre os dois países somou US$ 3,1 bilhões em 2016, aumento de 3,7% sobre o ano anterior, de US$ 3 bilhões. O Peru foi o 31º país com maior fluxo de comércio com o Brasil em 2016.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017