Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Brasil e Irã buscam ampliar comércio e investimentos bilaterais

17/11/2016

O ministro Marcos Pereira reuniu-se nesta quinta-feira, em Brasília, com uma delegação de autoridades iranianas chefiada pelo ministro da Economia e Finanças do Irã, Ali Taiebnia, para discutir ações que visam incentivar o aumento do comércio e dos investimentos entre os dois países. Foi a primeira reunião no Brasil, desde o relançamento, em 2015, da Comissão Econômica-Comercial Bilateral Brasil-Irã.

O ministro Marcos Pereira assinalou que o comércio bilateral está crescendo, mas que há grande potencial para aumento das vendas dos setores automotivo, de alimentos, de máquinas e equipamentos e médico-hospitalar. O ministro Ali Taiebnia destacou que o Irã é um dos países mais estáveis e desenvolvidos do Oriente Médio e que tem grande interesse em ampliar suas relações econômicas com a América Latina, especialmente com o Brasil.  

Ali Taiebnia concordou que existem grandes oportunidades a serem exploradas e que o papel dos governos é verificar essas possibilidades e executá-las seja na área de comércio ou de investimentos. Durante a reunião, Marcos Pereira lembrou que a Câmara de Comércio Exterior (Camex), formada por sete ministérios, entre eles o MDIC, criou um grupo de trabalho para definir ações que aprofundem as relações econômicas bilaterais.

Intercâmbio Comercial

Em 2015, as exportações brasileiras para o Irã cresceram 15,8% em relação ao ano anterior, passando de US$ 1,4 bilhão para US$ 1,6 bilhão. O que representou 0,9% do total das vendas do Brasil para o mundo, no ano passado, quando 114 empresas brasileiras realizaram vendas para o mercado iraniano.  Em 2016, o comércio bilateral também registra crescimento.

De janeiro a outubro deste ano, o intercâmbio comercial, que é a soma das exportações e importações, cresceu 46,1%, alcançando US$ 1,94 bilhão.  A balança comercial é superavitária para Brasil. As exportações brasileiras são de US$ 1,879 bilhão e as importações, US$ 59 milhões, com saldo positivo de US$ 1,820 bilhão. A pauta de exportações brasileiras para o Irã é formada principalmente por milho em grãos, soja em grãos, carne bovina, açúcar em bruto, farelo de soja, chassis com motor para automóveis. O Brasil compra do Irã, principalmente, manufaturados de ferro e aço, ureia e borracha e uvas.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017