Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Em reunião com embaixadora dos EUA, ministro afirma interesse em avançar na relação comercial

14/06/2016

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, recebeu na manhã desta terça-feira (14) a embaixadora dos Estados Unidos, Liliana Ayalde. O encontro serviu para garantir a continuidade e o fortalecimento das relações comerciais entre os dois países, especialmente por meio do diálogo MDIC-DoC (Departamento de Comércio dos EUA) e do Fórum de CEOs Brasil-Estados Unidos, cujo continuísmo ressalta as parcerias como políticas de Estado.

Este diálogo foi criado em 2006 e relançado em 2010 e tem sido um dos mecanismos prioritários do MDIC nos últimos quatro anos, que permite a cooperação em matéria econômico-comercial, com resultados positivos por meio de diversos intercâmbios, visitas técnicas e reuniões semestrais.

O ministro, ademais, externou à embaixadora a disposição para realizar a edição de 2016 do CEO Fórum (Fórum Brasil-Estados Unidos de Altos Dirigentes de Empresas), que havia sido cancelado. Formado por doze grandes empresas de cada um dos países, o Fórum, criado em 2007, tem por objetivo viabilizar discussões e apresentar recomendações para o desenvolvimento econômico. A eleição americana para presidente pode inviabilizar a edição deste ano.

Liliana destacou a amplitude e a longeva parceria entre os dois países, com cerca de US$ 100 bilhões em trocas comerciais, e do interesse em avançar ainda mais. O ministro Marcos Pereira fez um breve relato da situação política atual do país, com um processo de impeachment em andamento, mas assegurou que as instituições brasileiras são fortes e funcionam bem. “Embora ainda interino, o governo trabalha como se definitivo fosse”, disse.

O ministro ressaltou ainda a postura dada ao “diálogo” do novo governo e da sua gestão à frente do MDIC, com vistas ao pragmatismo e a soluções rápidas aos entraves burocráticos que penalizam tanto as empresas brasileiras como os investidores estrangeiros. “Há muitas normas que dependem apenas de vontade política. Vou atuar de acordo com os interesses do setor privado, inclusive defendendo os pleitos das empresas nacionais junto a outros órgãos do governo”, disse Marcos Pereira.

A embaixadora viu a sinalização como “excelente notícia” e afirmou que há uma “sincronização” das agendas comerciais de Brasil e Estados Unidos. Liliana também elogiou a nomeação dos 70 novos examinadores do Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI) feita pelo ministro na semana passada. Para ela, a medida agrada aos investidores. “Essa decisão tem impacto na inovação e no despertar da criatividade”, finalizou Liliana.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017