Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Armando Monteiro apresenta Plano Nacional de Exportações a empresários americanos

30/06/2015

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, apresentou hoje a empresários e CEOs norte-americanos o Plano Nacional de Exportações. Ele explicou que o objetivo do Plano é inserir o Brasil na rede internacional de acordos comerciais e de investimentos, promovendo a internacionalização das empresas brasileiras, e reduzindo barreiras não tarifárias às exportações.

“A convergência regulatória e a harmonização de normas exercem um papel crucial nessa agenda, e os avanços que nós temos observado nas relações com os Estados Unidos são uma evidência de que nós estamos caminhando rapidamente nessa agenda”, disse o ministro em discurso na Câmara de Comércio dos Estados Unidos.

Leia íntegra do discurso do ministro Armando Monteiro na Câmara de Comércio dos Estados Unidos

Monteiro ressaltou que algumas ações voltadas para a convergência regulatória e a harmonização de normas já vêm sendo adotadas. “Já houve desdobramentos nos segmentos de produção de cerâmica e porcelanato e nós esperamos avanços também nos segmentos de máquinas e equipamentos, têxtil e de luminárias”.

Segundo o ministro, o passo seguinte é o Memorando de Intenções sobre Padrões e Avaliação da Conformidade, que é um dos objetivos da visita aos Estados Unidos e compreenderá as futuras iniciativas setoriais de harmonização.

Monteiro destacou ainda a assinatura de um acordo de facilitação de comércio com o propósito de fazer com que Brasil e Estados Unidos identifiquem os setores econômicos mais promissores e adotem ações concretas, em parceria com o setor privado, para simplificar ou reduzir exigências burocráticas.

Aos empresários norte-americanos, Monteiro disse que o governo brasileiro também tem como objetivo estabelecer, por meio de processos coordenados pelas aduanas de Brasil e Estados Unidos, o reconhecimento mútuo do Operador Econômico Autorizado (OEA). Trata-se de um programa de certificação dos intervenientes da cadeia logística que apresentam baixo grau de risco em suas operações, em termos de segurança física da carga e de cumprimento de suas obrigações aduaneiras.

Monteiro concluiu o discurso afirmando que a visita da presidenta Dilma Rousseff aos Estados Unidos representa um marco para o estreitamento dos laços bilaterais. “Este é, portanto, um momento para maximizarmos nossos esforços e para conferirmos a essa importante relação entre os dois países um status renovado e revigorado”.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017