Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

MDIC e Governo de SP lançam plano para aumentar a participação de empresas paulistas nas exportações

06/10/2015

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, lançaram hoje o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE), programa que tem como objetivo aumentar o número de empresas paulistas – especialmente as de pequeno e médio porte – que operam no comércio exterior.

Inicialmente, o programa vai trabalhar com 4 mil empresas do Estado de oito setores: alimentos, farmacêuticos, equipamentos médico-hospitalares, materiais de construção, moda, máquinas e equipamentos, serviços de engenharia e TI.

A cerimônia de lançamento, no Palácio dos Bandeirantes, contou com a participação do presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe SP), Juan Quirós, e do presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), David Barioni.

Durante seu discurso, o ministro Armando Monteiro, afirmou que não pode existir um Plano Nacional de Exportações sem incorporar São Paulo, estado que responde por uma parcela preponderante do comércio exterior brasileiro.

Oportunidade

Monteiro afirmou ainda que os países que têm uma presença no comércio exterior, são aqueles que entenderam que exportações são um canal fundamental. “Exportar nada mais é do que contratar demanda externa. O Brasil tem pouco mais de 1% do comércio global. Se considerarmos os manufaturados, cai para 0,7%. Temos uma janela de oportunidade”, destacou, lembrando que houve aumento de 6% no índice quantum. “Não fosse a queda dos preços das commodities, o Brasil teria uma receita adicional US$ 30 bilhões”, disse.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, destacou a importância da parceria e da agenda, uma vez que as exportações, ao lado da Logística e da infraestrutura, vão ajudar na retomada do crescimento econômico do Brasil. “Vamos suar a camisa para quem exporta, exportar mais, e quem não exporta começar a exportar”, afirmou.

Juan Quirós, presidente da Investe SP, destacou que o aumento das exportações implica em geração de emprego e renda e que o programa em parceria com a Apex terá início pela Região Metropolitana. “Vamos selecionar 50 empresas para iniciar nosso projeto piloto".

O presidente da Apex-Brasil, David Barioni, lembrou que a agência apoia 80 setores da economia e que realiza mais de mil ações de promoção comercial por ano. “A assinatura do convênio com a Investe SP, que contemplará ações específicas para o estado, consolida uma parceria que existe entre as duas agências desde 2007”, disse.

De acordo com o secretário de Comércio Exterior, Daniel Godinho, para que o Plano Nacional de Exportações tenha êxito, é preciso coordenar ações do governo federal com os governos estaduais. “Esse é o objetivo do PNCE, um passo inédito de trabalho conjunto e coordenado para aumento das exportações brasileiras”, afirmou.

PNCE

O PNCE é o braço regional do Plano Nacional de Exportações – lançado pelo Governo Federal em junho deste ano. São Paulo é o segundo estado a receber o Comitê Gestor do PNCE, que será responsável por monitorar a performance do programa com as empresas locais.

As empresas participantes do PNCE vão contar também com apoio dos parceiros na elaboração de avaliação de seus produtos e serviços, consultoria de inteligência comercial (que avalia em quais mercados aquele produto ou serviço tem potencial de venda), participação em missões comerciais e rodadas de negócios com compradores estrangeiros.

Em São Paulo, o programa conta com o apoio do MDIC, governo do Estado de São Paulo, Fiesp, Sebrae, Apex-Brasil, Investe SP, Correios, BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica e outros parceiros que trabalharão em conjunto para garantir o aumento das exportações do estado.

Etapas

O PNCE é desenvolvido em cinco etapas bem definidas – sensibilização, inteligência comercial, adequação de produtos e processos, promoção comercial e comercialização. O programa conta ainda com três temas transversais para o direcionamento das empresas: financiamento, qualificação e gestão.

No âmbito do PNCE, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe SP) assinarão convênio de cooperação técnica que estabelecerá parceria para o desenvolvimento de ações voltadas para o aumento da competitividade e internacionalização das empresas paulistas, contribuindo para o aumento das exportações do estado.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017