Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

EXPORTAÇÕES CAEM E BALANÇA TEM DÉFICIT

01/12/2014

A balança comercial registrou déficit de US$ 2,350 bilhões em novembro. De acordo com o balanço do período divulgado nesta segunda-feira (01) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações foram de US$ 15,646 bilhões, valor 25% menor do que no mesmo período do ano passado pela média diária. As importações somaram US$ 17,996 bilhões e tiveram redução de 5,9% na comparação da média diária com igual período de 2013.

Segundo os dados do MDIC, caíram as vendas nas três categorias de produtos: manufaturados, semimanufaturados e básicos. Entre os manufaturados, que tiveram redução de 31,7% em comparação com novembro do ano passado, os embarques com quedas mais significativas foram de óleos combustíveis, veículos de carga, açúcar refinado, automóveis de passageiros, tratores, motores e geradores.

Entre os semimanufaturados a redução foi de 6,2% devido, sobretudo, às vendas menores de ferro fundido, ouro em forma semimanufaturada, açúcar em bruto, ferro-ligas e óleo de soja em bruto. Já entre os básicos, em que houve queda de 25% nas exportações de novembro, as principais reduções foram registradas nos seguintes produtos: soja em grão, minério de ferro, fumo em folhas, farelo de soja, milho em grão, minério de cobre, petróleo em bruto, carne bovina e carne de frango.

Oriente Médio compra menos

Entre os destinos, apenas Estados Unidos e Europa Oriental compraram mais em novembro deste ano. As vendas para o Oriente Médio caíram 11,6%, principalmente em razão dos embarques menores de farelo de soja, carne de frango, bovina e milho em grão. O Oriente Médio ampliou, contudo, suas vendas ao Brasil. O País comprou 35,5% a mais da região, em razão das importações maiores de petróleo, ureia, querosene de aviação, óleos combustíveis, polímeros plásticos, inseticidas, e alcoóis acíclicos. As exportações para a África caíram 14,5%. Já as importações que o Brasil fez do continente cresceram 16,4% em razão do aumento de compras de petróleo e seus derivados.

No ano

No acumulado do ano, a balança comercial também acumula resultado negativo. Foram exportados US$ 207,611 bilhões, valor 5,7% menor do que entre janeiro e novembro de 2013. As importações chegaram a US$ 211,832 bilhões, valor 3,9% menor do que nos 11 meses até novembro de 2013. O saldo comercial no acumulado deste ano é de US$ 4,221 bilhões. No mesmo período do ano passado, segundo os dados do MDIC, o déficit era de US$ 268 milhões.

Segundo informações do MDIC divulgadas pela Agência Brasil, este é o pior déficit da balança comercial para meses de novembro e o pior no acumulado do ano desde 1998. O ministério citou três motivos que contribuíram para o desempenho da balança comercial. Um deles foi a queda no preço das commodities, como por exemplo milho e minério de ferro. Outro foi a crise econômica na Argentina, que passou a importar menos do Brasil. E outra razão tem relação com o petróleo. A demanda interna cresceu e houve uma redução, programada, na produção. Devido a estes fatores, o Brasil importou mais petróleo e derivados do que normalmente importa.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017