Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Dois estados do Sudeste registram aumento nas exportações de janeiro a outubro

14/11/2014

Dois dos quatro estados do Sudeste, região responsável por 50,9% das exportações brasileiras, registraram aumento das vendas externas, de janeiro a outubro de 2014, em relação aos dez primeiros meses de 2013. O Rio de Janeiro teve aumento de 18,24% (de US$ 16,272 bilhões para US$ 19,240 bilhões) e o Espírito Santo registrou crescimento de 19,27% nos embarques (de US$ 8,776 bilhões para US$ 10,467 bilhões).

No geral, as exportações do Sudeste diminuíram 2,08%, no período em análise (de US$ 99,845 bilhões para US$ 97,765 bilhões). O Sudeste também foi a região brasileira que mais importou de janeiro a outubro deste ano (US$ 105,706 bilhões, 54,53% do total Brasil e retração de 4,71%). O maior estado exportador e importador regional foi São Paulo com US$ 43,054 bilhões em vendas externas (retração de 8,04%) e US$ 72,293 bilhões em importações (retração de 5,42%).

A Região Sul foi a segunda com o maior volume de exportações, nos dez primeiros meses deste ano (US$ 38,130 bilhões, 19,86% do total Brasil). Em relação ao mesmo período de 2013, (US$ 44,227 bilhões) houve retração de 13,79%. Os estados da região com maiores volumes de embarques ao exterior foram Rio Grande do Sul (US$ 16,231 bilhões, retração de 23,87%), Paraná (US$ 14,131 bilhões, retração de 9,45%) e Santa Catarina (US$ 7,767 bilhões, crescimento de 6,37%). A Região Sul também foi a segunda que mais realizou compras externas (US$ 40,430 bilhões, 20,86% do total Brasil), com diminuição de 5,5% em relação ao mesmo período anterior. O Sul também foi o segundo maior importador entre as regiões do país (US$ 38,130 bilhões, 20, 86% do total Brasil e retração de 13,79%). 

A terceira maior região exportadora foi a Centro-Oeste (US$ 24,160 bilhões, 12,59% do total Brasil e retração de 2,21%). Os estados da região que mais realizaram vendas externas foram Mato Grosso (US$ 13,212 bilhões, com retração de 4,20%), e Goiás (US$ 6,057 bilhões, crescimento de 0,17%). Os maiores importadores regionais foram o Mato Grosso do Sul (US$ 4,453 bilhões, retração de 5,48%) e Goiás (US$ 3,744 bilhões, retração de 7,77%).

Em quarto lugar no ranking das regiões exportadoras está o Norte (US$ 15,050 bilhões, 7,84% do total Brasil e  retração de 1,08%), sendo que os estados que mais realizaram embarques ao exterior, no período, foram Pará (US$ 12,077 bilhões, retração de 3,37%), Rondônia (US$ 948 milhões, crescimento de 8,61%), Tocantins (US$ 816,828 milhões, crescimento de 29,52%) e Amazonas (US$ 815,870 milhões, retração de 7,85%). Nas importações, o Norte também ficou em quarto lugar, com vendas de US$ 13,015 bilhões, com retração de 5,93%.

A região Nordeste ficou em quinto lugar no ranking de exportações (US$ 13,441 bilhões, retração de 0,13%) e foi a terceira maior importadora (US$ 23,702 bilhões, crescimento de 2,10%). Os estados com mais vendas ao exterior foram Bahia (US$ 7,932 bilhões, retração de 7,03%), Maranhão (US$ 2,362 bilhões, crescimento de 16,31%), e Ceará (US$ 1,250 bilhão, crescimento de 16,13%). Os maiores importadores regionais foram Bahia (US$ 7,523 bilhões, crescimento de 3,70%), Pernambuco (US$ 6,092 bilhões, crescimento de 6,33%) e Maranhão (US$ 5,694 bilhões, retração de 1,68%).



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017