Com a isenção total de tributos na importação de máquinas e equipamentos, os investimentos cresceriam significativamente a ponto de elevar o PIB?

 SIM
 NÃO

 
 

Recuperação econômica e renovação de parque fabril são temas de destaque em Congresso do Aço

12/08/2014

Em fala para empresários durante o 25º Congresso Brasileiro do Aço, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Mauro Borges, reconheceu que a economia brasileira tem sofrido forte impacto das dificuldades do cenário externo.

Ele avaliou que a desaceleração foi puxada por uma crise internacional que já dura sete anos. "Vivemos um período de grandes dificuldades no panorama internacional. O mundo tem crescido, desde 2008, numa média de 3,5%, mas quando se exclui a China da conta, o resultado é de quase estagnação no período", ponderou o ministro, apontando ainda que o desafio da recuperação econômica global é o maior desde a Grande Depressão americana da década de 1930.

A um público formado, principalmente, por executivos da indústria siderúrgica, o ministro do MDIC citou os problemas enfrentados pelo setor, como o alto custo da energia, os tributos cumulativos e a legislação trabalhista anacrônica. Porém, aludiu a existência de programas de incentivo em construção civil e de concessões em logística, além das cadeias industriais, automotivas e de petróleo e gás.

Sobre a modernização do parque fabril brasileiro - que tem em média 17 anos, enquanto em companhias asiáticas a troca de maquinário ocorre a cada sete ou oito anos - Mauro Borges mencionou a desoneração tributária e a modelagem regulatória para ajudar o setor siderúrgico a enfrentar o excedente da oferta no mercado mundial.



Voltar


BRASIL




GERAIS




adm  ABRACEX - Associação de Comércio Exterior do Brasil - Todos os direitos reservados - ©2017